Mitos sobre o amor: Parte I | Só Para Meninas | blog feminino por Rafaelli Antes
Sem categoria

Mitos sobre o amor: Parte I

.
Homens e mulheres passam a  vida pensando que sabem muito sobre relacionamentos. Mas e quando conceitos consagrados sobre a relação homem/ mulher são desmentidos por pesquisas científicas?
Pesquisas acadêmicas sobre um dos mais estudados sentimentos da humanidade derrubaram esses conceitos, deixando cada vez mais clara a dificuldade de se entender o amor.
Compreender os mecanismos que guiam esse sentimento é difícil, mas quem sabe fique um pouquinho mais fácil se deletarmos da nossa cabeça esses mitos, nos quais tanto acreditamos.

1. Homens dão mais valor à parte física das mulheres e as mulheres ao status social dos homens.

O primeiro mito foi desmentido por um estudo da Universidade de Northwestern’s Weinberg, nos Estados Unidos. Por incrível que pareça, o estudo mostra uma realidade bem diferente.
A pesquisa envolveu o acompanhamento de 163 jovens durante 30 dias, e pasmem: na prática, homens e mulheres agem de maneira idêntica na na hora da conquista. Difícil de acreditar, né?
Segundo o professoe Eli Finkel, um dos acutores do estudo, “a beleza é a característica mais desejada, tanto para homens, quanto para mulheres”. Isso acontece porque “o primeiro canal de comunicação é sempre o da aparência física”, segundo a psicóloga Lídia Weber.
E a questão do status social? Bom, esta continua presente, tanto para homens, quanto para mulheres. Ela fica em segundo plano.
Após esses dois quesitos, existem algumas camadas secundárias de avalição, nas quais o critério de selação para homens e mulheres são praticamente iguais. Nesse sentido, o mito de que as mulheres seriam mais seletivas também cai por terrra.

2. Relações proibidas são mais empolgantes

Segundo uma pesquisa da Universidade de Geórgia (EUA) feita em 2005, o frio na barriga de uma relação proibida não dura por muito tempo.
Os relacionamentos de fifícil manutenção parecem perigosamente interessantes no começo, mas com o tempo, manter o segredo é mais estressante e trabalhoso do que divertido.
O estudo também revela que esse  tipo de situação acontece porque os casais se submetem a esse tipo de relação não querem contar aos amigos e família sobre o relacionamento, e não porque tenham atração pelo segredo.
Segundo Sônia Eva Tucherman, da Sociedade Brasileira de Psiquiatria do Rio de Janeiro, “as desvantagens a pessoa só vai perceber depois. A paixão é um processo irracional. Se a gente fosse absolutamente racional, não se apaixonaria nunca.”
Ao apaixonar-se o indivíduo pode procurar inconscientemente características das quias precisa, por isso a famosa frase “os opostos se atraem”, mas desde o primeiro momento essa diferença pode gerar stress, o que não precisa ser necessariamente ruim, se o casal tiver forma pra passar por esse momento e amadurecer a relação.
“À medida que você vai entrando em contato com o ser amado, passa a vê-lo por inteiro. É nessa hora que perde a graça e muitas paixões acabam, como se tivessem caído do 50° andar de um prédio”, diz a psiquiatra Sônia.

Fonte: Revista Istoé
Imagem: Recanto das letras

Por ser um texto bem longo, dividi em partes, as quais vocês poderão ler ao longo desse mês. Não deixem de acompanhar o blog!
Um beijo.
@soparameninas

13 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *